A síndrome de burnout ou síndrome do esgotamento é o resultado de uma exposição prolongada a ambientes com excesso de fatores de estresse emocional e interpessoal, que levam o indivíduo a um quadro de exaustão, despersonalização e profunda insatisfação.

Normalmente associada a ambientes de trabalho estressantes, como hospitais e escolas, pode acometer qualquer um que necessite desempenhar um papel de cuidar de outras pessoas ou o contato intenso com outros indivíduos diariamente, e principalmente, aqueles que mantêm um alto grau de envolvimento no trabalho, alta expectativa em relação ao resultado de suas atividades e não lidam bem com frustrações.

Aqueles que apresentam a síndrome estão mais suscetíveis a desenvolverem o uso abusivo de álcool e outras substâncias psicoativas, pensamentos suicidas e doenças cardiovasculares. Os sintomas podem ser confundidos com estresse ou até mesmo depressão, e inicialmente é direcionado ao trabalho, mas pode causar prejuízos em outras esferas do cotidiano.