O tabagismo e o alcoolismo podem ser caracterizados como dependências crônicas quando o usuário chega ao estado de compulsão pela busca e obtenção do cigarro e do álcool, não é capaz de limitar o consumo, tem mal estar, ansiedade e irritabilidade quando passa por períodos de abstinência destas substâncias.

Alcoolismo e tabagismo não devem ser considerados somente como dependências químicas, pois a ingestão é influenciada pelo estado mental e emocional do indivíduo e por fatores externos. Para proceder com um tratamento, é necessário fazer uma análise detalhada do padrão de consumo e as situações gatilho e buscar afastar-se destas ocasiões no início do tratamento, para não haver recaídas.